Anarriê vem da palavra francesa en arrière, que significa “de volta”.

Com muitas cores e sorrisos, o Arraiá do CBH voltou pra matar a saudade de todo mundo! A edição 2022 da festança, que ocorre tradicionalmente em agosto (mas a pandemia inviabilizou nos dois últimos anos), aconteceu no sábado, dia 13/08, nas quadras do Clube, repletas de bandeirolas e de gente, reunindo mais de 1.300 pessoas, entre sócios e convidados.

A programação contou com shows do Trio Mandruvá, da dupla sertaneja Rick e Ricardo e banda Baianeiros, além da apresentação da quadrilha Pé de Serra. E entre uma atração e outra, curtindo a boa música que invadia todo o espaço, o público pôde apreciar várias comidas típicas e bebidas (cerveja, chope e drinks) nas barraquinhas da festa.

Diversão também não faltou para a criançada, com touro mecânico, brinquedos infláveis e jogos juninos no Espaço Criança montado no ginásio. Além falar dos doces, pipoca e outras delícias que os pequenos puderam apreciar nas tradicionais barraquinhas.

“Que festa linda! Os cantores, a comida, a quadrilha! Ah, a quadrilha… eles até me chamaram pra dançar! Mas o Espaço Kids… ah, tinha muito brinquedo! Tinha touro mecânico, pescaria, boca do palhaço! O touro mecânico eu fui muitas vezes!”, comentou a pequena Cecília, 8 anos, filha de Sérgio (Serginho) e Sheyla.

E teve quadrilha? Teve sim, senhor! Quadrilha improvisada pelos sócios, apresentação de quadrilha profissional com a turma do Pé de Serra e quadrilha dos profissionais com os sócios.

No meio das chitas esvoaçantes da Quadrilha Pé de Serra, uma pequena garotinha chamava atenção com o mesmo figurino. Era Maria Giovana, 3 anos, filha do casal de dançarinos Tainar e Lucas. “Ela cresceu nesse ambiente. Em 2018, dancei aqui amamentando. Hoje, ela é apaixonada pela quadrilha”, contou Tainar, elogiando a festa do CBH: “É uma honra entre nós estar aqui. A quadrilha do Clube belo Horizonte é preferida e todos (do grupo) querem vir. Pela organização, pela simplicidade, pela acolhida, pela animação. A gente faz o quadrilhão e todos vem dançar com a gente de bom coração”.

Maria Giovana, 3 anos, com o casal de dançarinos Tainar e Lucas

Maria Giovana, 3 anos, com o casal de dançarinos Tainar e Lucas

Ari Cesar Santos Ribeiro, sócio há dez anos do CBH, conta que foi um dos autores da ideia da quadrilha improvisada dos sócios e que essa “foi a melhor festa caipira do CBH, com organização, fartura, música de qualidade, um ambiente alegre, sadio e animado”.

“Me diverti demais!”, disse. Dava pra ver. Vestido a caráter, Ari esbanjou simpatia e animação pela pista de dança. “Vou sempre que possível aos eventos e o retorno, após dois anos, muito bem aproveitado pelo Clube! Excelente”, ressaltou, já emendando a entrevista com mais ideias para a próxima festa.

Ari Ribeiro (à direita) participou da festa à caráter e esbanjou simpatia na quadrilha dos sócios improvisada

Ari Ribeiro (à direita) participou da festa à caráter e esbanjou simpatia na quadrilha dos sócios improvisada

Lairson de Assis, o Lalá, colaborador da comissão de eventos do CBH, comemorou a retomada da tradicional festa e a boa repercussão entre os sócios: “Em conversas com vários convidados do evento, só ouvi falarem muito bem. Várias pessoas tem me parado e me mandando mensagens para parabenizar a todos nós da comissão e toda a Diretoria. Eu só tenho que dizer uma coisa: Já acabou? (risos). Agora vamos esperar que a nossa Diretoria possa fazer mais pelos próximos anos à frente. Estamos juntos! E que venha o próximo evento, a tradicional feijoada!”.

Lairson de Assis, o Lalá, da equipe de organização, comemorou o sucesso da festa

Lairson de Assis, o Lalá, da equipe de organização, comemorou o sucesso da festa

Para o sócio Renato Gebauer, que participou pela primeira vez, o evento foi muito bem estruturado, resultando no seu sucesso: “A harmonia do Clube reflete na festa. A felicidade dos sócios e dos convidados é latente! O Clube está de parabéns!”.

Renato Gebauer com a esposa pela primeira vez no evento

Renato Gebauer com a esposa pela primeira vez no evento

Também prestigiando o evento pela primeira vez, Guilherme Lages Belém, presidente da Sociedade Hípica de Minas Gerais, comentou: “Muito boa a festa, muito organizada, quadrilha muito animada, muito bonita. Bem pensado o espaço pra criança, ótimo para quem vem com os filhos”.

Alexandre Jacks e Almir Caixeta, respectivamente vice-presidente e presidente do CBH, com Guilherme Lages Belém, presidente da Sociedade Hípica de MG

Alexandre Jacks e Almir Caixeta, respectivamente vice-presidente e presidente do CBH, com Guilherme Lages Belém, presidente da Sociedade Hípica de MG

E pra quem vinha todo ano no Arraiá, “saudade” foi a palavra mais pronunciada na noite.

“Matamos a saudade da festa junina com muita alegria! Estava tudo perfeito. As festas anteriores foram ótimas, mas esta foi maravilhosa. Hoje no clube muitas pessoas comentaram comigo que acham que esta foi a melhor festa que já teve. Tinha um número bom de pessoas, não estava cheio demais. A quadrilha improvisada lotou e ficou muito bonita.  Bandas maravilhosas e organização perfeita. Parabéns para todos os envolvidos na realização desse evento”, comentou a sócia Veralice Trópia, a Verinha, no meio de uma mesa animada. “Éramos 20 pessoas. Tinham dois casais que foram pela primeira vez e ficaram encantados! Eles querem voltar nas próximas festas”, completou.

Veralice Trópia (quarta da dir. pra esq.) matou saudade da festa com uma turma de amigos

Veralice Trópia (quarta da dir. pra esq.) matou saudade da festa com uma turma de amigos

Todo mundo estava realmente com saudade e o Arraiá do CBH 2022 foi animado do início ao fim! Todo mundo cantou e dançou por a toda a noite, que começou com o som contagiante da sanfona do Trio Mandruvá, passou pelo modão sertanejo com Rick e Ricardo, e terminou em grande estilo com a alegria própria da banda Baianeiros.

“Foi a primeira vez que tocamos no evento e no Clube Belo Horizonte. A gente ficou muito feliz e muito encantando com a estrutura do Clube e pela forma que fomos recebidos e atendidos. A galera estava super animada e curtiu demais com a gente, cantou, dançou o tempo inteiro, super na vibe do show. Ficamos muito felizes e satisfeitos com a energia que conseguimos trocar com a galera. A organização do evento recebeu a gente super bem e cuidou de tudo com muito carinho e muito cuidado. Foi muito bacana e nós queremos voltar logo!”, comentaram os Baianeiros.

O Clube Belo Horizonte é que agradece o carinho de todos – sócios, convidados, bandas, parceiros – que tornaram tão especial este momento, após o vazio provocado pela pandemia. É muito bom ter de novo a casa cheia e a família CBH reunida, seguindo em frente com amor, fé e vida!

Anarriê!

Confira galeria de fotos em: https://photos.app.goo.gl/kqnwPqyvz3gQokod7

Fotógrafo: Valmon Santos