No último sábado, 24/11, o estádio Lavalli Campos foi palco de uma grande festa. As categorias Sênior e Master entraram em campo para disputar a grande final do Cifuca 2018. Japão se sagrou o campeão pela categoria Sênior e Uruguai levou a taça pela categoria Master.

 

Com as arquibancadas cheias e o olhar atento de uma torcida empolgada, os times finalistas  fizeram os jogos que decidiram os campeões dessa edição do Cifuca. Pela categoria Sênior, em uma grande partida, Japão venceu por 4×2 a Inglaterra e levou o ouro. Pela categoria Master, o Uruguai, que não perdeu nenhuma partida no campeonato, venceu por 4×2 o time de Portugal, sagrando-se o campeão em sua categoria.

 

 

Ricardo Marques, árbitro FIFA de Minas Gerais, foi quem apitou os jogos. “É uma satisfação muito grande poder estar aqui no CBH. O campeonato foi muito bem organizado e a competição bem estruturada. Estão de parabéns toda a direção do clube e os atletas. A gente vem para contribuir com um espetáculo tão bonito como esse. Tivemos famílias presentes, muitas crianças, isso é muito importante. Quero agradecer mais uma vez pelo convite”, disse.

 

 

Ricardo ressaltou ainda o desempenho dos jogadores da categoria Sênior:  “A gente percebe uma superação muito grande, já que são atletas com idade acima de 50 anos com muita vitalidade e saúde. Isso me alegra e me motiva. Quem sabe eu chegue nessa idade com essa vitalidade?”.

 

Por último, o árbitro elogiou o jogo da categoria Master: “Foi um jogo muito leal. Tivemos uma partida sem nenhuma expulsão, os jogadores se respeitaram e respeitaram a arbitragem. Praticaram o fairplay o que é o mais importante”.

 

 

 

Premiação

 

 

Após as partidas finais, a diretoria do CBH fez a entrega da premiação aos vencedores.

 

“Nosso time foi crescendo aos poucos e na final nós ficamos fortes. Fomos campeões no Torneio Início e fechamos com chave de ouro com a vitória do campeonato”, comemorou Eduardo Alves, jogador do Japão pela categoria Sênior.

 

 

Neilor Andrade, jogador Uruguai pela categoria Master, foi o artilheiro do campeonato com 28 gols e falou sobre sua história com o campeonato: “Entrei no Clube em 1993 e jogo no Cifuca desde 1996. São 22 anos! Eu amo o Clube. Eu passei a minha infância esperando crescer para entrar dentro do campo e jogar. Vi meu pai e meus tios jogando. Isso aqui significa muito para mim e para os amigos da minha geração”.

 

 

Durante a premiação o diretor de esportes do Clube, Mateus Brandão, foi homenageado. “Agradeço pelo reconhecimento do trabalho que tenho exercido à frente desta diretoria. Hoje o CBH é uma referência no esporte e uma das potências de Belo Horizonte. Somos procurados para disputar vários campeonatos fora e também para emprestar nossos espaços para várias competições de âmbito nacional. O Cifuca é referência de campeonato interno de clubes na modalidade futebol. Recebo ligações de outros clubes querendo saber sobre a organização do campeonato. E a tendência é que ele cresça cada vez mais”.

 

 

Mateus estendeu a homenagem aos colegas: “Gostaria de agradecer ao Élcio que sempre colabora com a organização dos eventos esportivos; aos coordenadores de esportes que me ajudam nessa gestão e ao Rui que é meu braço direito na diretoria de esportes. Principalmente ao nosso presidente Carlão que sempre apoia o esporte no CBH”.

 

O diretor finalizou afirmando acreditar que o Clube Belo Horizonte é hoje das maiores potências, em todos os aspectos, entre os clubes da Capital.

 

Veja as fotos em: https://photos.app.goo.gl/WxgZ1khgGFdCmj369