O CBH sediou, pela primeira vez, o exame de faixa preta do Karatê. No sábado, 10 de dezembro de 2016, atletas de Minas Gerais tiveram formações teórica e prática. Logo depois, fizeram provas oral e escrita, além de exames no tatame.

A iniciativa foi realizada pela Federação Mineira de Karatê. O professor do Clube, Sérgio Murilo, disse ser muito gratificante receber pessoas de todo o Estado, tornando o CBH conhecido e reconhecido no esporte. “Os exames seguem a WKF – World Karate Federation, já que a modalidade se tornou um esporte olímpico. São exames de graduação para faixa preta ou arbitragem”, ressaltou.

O árbitro pan-americano, João Lisita, explica que a iniciativa tem como objetivo melhorar o nível técnico dos atletas. “De 2013 para cá, o karatê deu um salta de qualidade e é importante exames como esses. Hoje o esporte está entre os dez primeiros no ranking mundial. Minas Gerais tem quatro árbitros internacionais, entre os 30 em todo o Brasil”, disse.

Luciene Mundim, de Esmeraldas, participou do exame e afirma que pretende, no futuro, ser árbitra. “Oportunidade como essa é ótima para avançar no esporte. O Clube está de parabéns por promover o karatê e esse tipo de curso.

O árbitro da Confederação Brasileira de Karatê, Júlio César Pereira, ressalta que do CBH podem sair futuros atletas olímpicos. De acordo com ele, é extremamente importante o clube sediar iniciativas como essa, que garantem mais visibilidade para o karatê.