Abílio Afonso Filho, conhecido como Cerezo, é uma figura icônica no Clube Belo Horizonte. Já bisavô e após ter vencido uma doença agressiva, esbanja disposição no gramado do CBH, na pelada dos sessentões, às quartas, e no Campeonato Interno de Futebol de Campo (Cifuca), nos fins de semana.

Nascido em 1957, ele carrega consigo uma trajetória marcada por superar o desafio de um câncer, mantendo sua paixão inabalável pelo futebol. 

O apelido “Cerezo” tem uma origem especial, ligada à sua semelhança Toninho Cerezo, conhecido jogador do Atlético Mineiro. Além da semelhança física, os dois compartilharam também o campo de jogo na categoria de base do Ferroviário do Bairro Horto nos anos 70.

Em 2008, um diagnóstico de câncer intestinal trouxe um desafio e uma intervenção cirúrgica em janeiro de 2009 marcou o início de uma batalha que durou 14 anos. Cerezo precisou usar uma bolsa de colostomia, que determinou a sua vitória sobre a doença.

Cerezo ao lado de Almir Caixeta, presidente do CBH, e Rui César Moraes, ex-diretor de Esportes

Ao longo de sua jornada, o CBH tornou-se mais do que um espaço de lazer para ele, tornou-se um verdadeiro lar. 

Cerezo disse que encontra no clube um ambiente inclusivo e acolhedor: “Aqui não tem diferença de tratamento, todos são tratados com igualdade e respeito independentemente de quem você for, o Clube é para todos. Aqui eu fiz amizades valiosas para a vida e conheci pessoas incríveis, como o Almir, Celmo, Rui e Lalá”. 

Agora em 2023, o bisavô Cerezo segue firme em sua paixão pelo futebol, fiel na pelada dos sessentões e integrando o time do Borussia no Cifuca Sênior.

O Clube Belo Horizonte celebra não apenas a trajetória esportiva, mas também a resiliência e a dedicação de Cerezo. Sua história inspira a todos, lembrando-nos de que, com paixão e perseverança, podemos superar os desafios mais difíceis da vida.